Criatividade, marketing, branding, comunicação, design, empreendedorismo, inovação, futurismo e outras temáticas do universo da economia criativa.

Curso com 80 vagas gratuitas para formação de mulheres no mercado da tecnologia

Vagas gratuitas para formação de mulheres são oferecidas pela {reprograma}, confira

0

VAGAS GRATUITAS – 80 vagas para formação e inserção de mulheres no mercado da tecnologia

- Publicidade -

{reprograma}, iniciativa de impacto social que foca em ensinar programação para mulheres em situação de vulnerabilidade social e econômica, priorizando negras, trans e travestis, está com inscrições abertas para duas oportunidades online e gratuitas: o Imersão JavaScript, destinado a mulheres de todo o Brasil, com idade acima de 18 anos e conhecimento básico em JavaScript; e o Educa {Devas}, que tem como objetivo formar mulheres programadoras como educadoras, líderes e difusoras do conhecimento em tecnologia.

As inscrições são para todas as pessoas que se identificam com o gênero feminino, incluindo mulheres cisgênero, trans e travestis, desde que tenham total disponibilidade para frequentar as aulas. É necessário ter 18 anos e ensino médio completo, sendo este último requisito não obrigatório para mulheres trans e travestis.

Talvez você goste de ler também:

Brasileiros perdem quase R$ 8 mil por ano em alimentos descartados

- Publicidade -

Stella Artois com menos calorias e sem glúten, confira!

Desvende os segredos do Ciclo Ovulatório: conheça os detalhes cruciais para a saúde feminina

O curso Imersão JavaScript busca fornecer formação continuada, conhecimentos técnicos em JavaScript e auxiliar no desenvolvimento profissional. As candidatas serão avaliadas com base nos seguintes critérios: colaboração e empatia, qualidade da inscrição e coerência das informações, flexibilidade e disposição para aprender, além do conhecimento básico em JavaScript. Serão disponibilizadas 40 vagas, e as inscrições podem ser feitas até 14 de julho através do link: Link.

Já o Educa {Devas} busca proporcionar às mulheres a oportunidade de consolidar uma trajetória profissional como líderes capacitadas para treinar, desenvolver suas equipes de programadoras e ensinar outras mulheres. O curso é destinado a mulheres com conhecimento intermediário ou avançado em programação, e experiência profissional mínima de seis meses. Durante as aulas, as alunas terão a oportunidade de aprender sobre didática, pedagogia e formação inclusiva, além de refletir sobre as diferentes formas de ensinar. Serão oferecidas até 40 vagas, e as inscrições podem ser feitas, até o dia 14 de julho, por meio do link Link.

Para ambas as oportunidades o anúncio das selecionadas será feito no dia 28 de agosto, e os cursos acontecerão entre 16 de setembro e 9 de dezembro. As aulas serão ministradas ao vivo aos sábados, das 9h às 13h, e às terças e sextas-feiras, das 19h às 22h.

- Publicidade -

Serviço:

Curso Imersão JavaScript

Período de inscrição: 12 de junho a 14 de julho
Pré-requisitos: Todas as pessoas que se identificam com o gênero feminino, portanto, mulheres cisgênero, trans ou travestis, acima de 18 anos, com conhecimento básico em JavaScript
Formato: 100% online
Investimento: Gratuito
Quantidade de vagas: 40
Inscrições: Link 

 

Educa {Devas}

Período de inscrição: 12 de junho a 14 de julho
Pré-requisitos: Todas as pessoas que se identificam com o gênero feminino, portanto, mulheres cisgênero, trans ou travestis, acima de 18 anos, com conhecimento intermediário ou avançado e experiência profissional como desenvolvedora de, no mínimo, seis meses, a partir da data de abertura das inscrições
Formato: 100% online
Investimento: Gratuito
Quantidade de vagas: 40
Inscrições: Link 

Sobre a {reprograma}

Fundada em 2016, pela peruana Mariel Reyes Milk e as sócias Carla de Bona e Fernanda Faria, a iniciativa de impacto social foca em ensinar programação para mulheres em situação de vulnerabilidade social e econômica, priorizando negras, trans e travestis, e tem o objetivo diminuir a lacuna de gênero na área de T.I. Até o momento, mais de 1,5 mil mulheres se formaram, sendo que mais de 71,7% se autodeclaram pretas ou pardas e 10% trans e/ou travestis. Em 2022, Nadja Brandão, mulher negra e advogada com foco em Governança Corporativa, Compliance e ESG assumiu como Diretora Executiva da iniciativa, que possui parceria com grandes empresas, como Accenture, Creditas, Meta, iFood e Nubank.

Então, o que você achou desse conteúdo? Comente, compartilhe esse conteúdo e nos siga no Google Notícias e nossas redes Instagram, Facebook e Spotify

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.