Criatividade, marketing, branding, comunicação, design, empreendedorismo, inovação, futurismo e outras temáticas do universo da economia criativa.

Desvende os segredos do Ciclo Ovulatório: conheça os detalhes cruciais para a saúde feminina

Descubra os Mistérios por Trás do Ciclo Ovulatório: Saiba por que o 14º dia da menstruação é tão Significativo para as Mulheres

0

Desvendando os Segredos do Ciclo Ovulatório

- Publicidade -

O ciclo ovulatório faz parte da vida mulher e está presente desde a menarca, primeira menstruação, até a menopausa, data que marca a última menstruação. O ciclo ovulatório está diretamente ligado ao período menstrual e acontece no 14º dia da menstruação.

Dizemos que a mulher está ovulando quando há o aumento da produção de LH (hormônio luteinizante), onde ocorre o amadurecimento do óvulo, que aproximadamente acontece 36 horas depois, sendo liberado e encaminhado para as tubas uterinas à espera do espermatozoide. Esse ciclo acontece repetidamente ao longo da vida da mulher.

Talvez você goste de ler também:

Saúde feminina: Conheça os principais exames que toda mulher deve realizar

- Publicidade -

Imperdível: curso gratuito no SENAC de sommelier para apaixonados por vinhos

Segundo o ginecologista da Plenapausa, femtech que ajuda mulheres na menopausa, Dr. Wagner Hermandez, a mulher começa a ovular logo depois que ela menstrua, então, tecnicamente, ela tem uma janela até esse período de ovular, que vai do período da menarca até a menopausa.

Os segredos do Ciclo Ovulatório

“Durante esse processo vários hormônios estão envolvidos como o FSH, que é um hormônio folículo estimulante, fazendo com que os óvulos que ela tem no ovário sejam recrutados, geralmente um por mês, o que culmina no crescimento dos folículos. Há também o hormônio chamado LH que vai entrar em pico no organismo da mulher e liberar esse óvulo, justamente para que possa acontecer a fecundação”, explica.

Geralmente, o ciclo ovulatório acontece no meio do ciclo menstrual, por volta do 14º dia, quando pensamos em uma mulher com um ciclo de 28 dias. Dentro deste ciclo temos o período fértil da mulher. O período fértil é justamente a janela onde a mulher tem maior chance de gravidez e está diretamente relacionado à ovulação. Vale lembrar que quando o óvulo é liberado, o ideal é que o espermatozoide já esteja lá, pois existe um tempo entre a relação sexual e a chegada do espermatozoide até a região onde acontece a fecundação.

- Publicidade -

O ginecologista reforça que existe uma duração dos óvulos e dos espermatozóides durante o período fértil. “Podemos dizer que o período fértil é uma janela ao redor da fase ovulatória, que engloba de três a quatro dias. Um óvulo, geralmente, tem vida útil de 12 a 24 horas, já o espermatozoide consegue ficar viável por até cinco dias. Por isso, consideramos o período fértil cinco dias antes da ovulação e mais um ou dois dias depois”, pontua.

Ciclo ovulatório x infertilidade

Normalmente o que impede uma ovulação são problemas hormonais, dificilmente estando associado a outra causa. As dificuldades hormonais podem estar relacionadas a muitos fatores, como o uso de medicamentos que interferem no ciclo menstrual, alterações psicológicas, emocionais ou estresse elevado que cause alteração no curso do ciclo.

Existem também algumas doenças ou patologias que podem afetar a ovulação, a exemplo da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), que fará com que a mulher tenha ciclos anovulatórios, ou seja, sem ovulação. Infelizmente, não ovular é sinônimo de infertilidade, sim. Uma mulher que não ovula, não possui chance de engravidar.

Sobre saúde feminina no Brasil

Quando se trata da saúde da mulher, é fundamental conhecer os órgãos e estabelecimentos no Brasil que oferecem atendimento especializado. O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza uma ampla rede de atenção à saúde da mulher, com Unidades Básicas de Saúde (UBS) espalhadas por todo o país, além é claro da rede privada de atendimentos.

Nessas unidades, é possível realizar consultas médicas, exames preventivos, como o Papanicolau e a mamografia, além de receber orientações sobre planejamento familiar, pré-natal, cuidados com a saúde sexual e reprodutiva, entre outros serviços essenciais. Além disso, existem também clínicas particulares e instituições especializadas que oferecem atendimento ginecológico, obstétrico e de outras áreas da saúde feminina, proporcionando um suporte mais personalizado e abrangente.

Considerações finais

No Brasil, diversos órgãos governamentais também se dedicam à saúde da mulher. O Ministério da Saúde é responsável por formular políticas públicas e programas voltados para a promoção da saúde feminina, como o Programa de Saúde da Mulher. Além disso, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) regulamenta e fiscaliza os planos de saúde, garantindo que as operadoras ofereçam cobertura para consultas, exames e procedimentos relacionados à saúde da mulher.

É importante estar informada sobre os direitos e os serviços disponíveis, tanto no âmbito público quanto privado, para garantir o acesso a uma assistência médica adequada e de qualidade. Buscar informações sobre os órgãos e estabelecimentos que atendem a saúde da mulher é fundamental para cuidar do bem-estar e da qualidade de vida feminina de forma abrangente e eficaz.

Então, o que você achou desse conteúdo? Comente, compartilhe esse conteúdo e nos siga no Google Notícias e nossas redes Instagram, Facebook e Spotify

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.