Criatividade, marketing, branding, comunicação, design, empreendedorismo, inovação, futurismo e outras temáticas do universo da economia criativa.

Aproveite no final de semana: PICANHA mais barata para o churrasco! Entenda por que o corte ficou mais em conta em 2023

Picanha mais barata: queda de 7,9% na média nacional combinada com produção alta, exportação em baixa e consumo menor muda o jogo do churrasco

0

Como que a picanha ficou mais barata?

- Publicidade -

Quem não ama um bom churrasco com picanha suculenta? Mas a boa notícia é que agora você pode desfrutar de uma picanha de qualidade sem prejudicar o seu orçamento. Nos primeiros sete meses de 2023, o preço da picanha no Brasil caiu surpreendentes 7,9%.

Em algumas capitais, como Brasília e Belo Horizonte, a redução é ainda mais expressiva, chegando a 10,84% e 9,69%, respectivamente. E essa tendência de preços mais acessíveis não se limita apenas à picanha; outros cortes populares, como a alcatra, filé-mignon, patinho e costela, também ficaram mais baratos desde o início do ano. Mas por que essa mudança tão significativa nos preços?

Talvez você goste de ler também:

ROBÔ DA BLAZE E FOGUETINHO DO CARLINHOS MAIA é GOLPE? DÃO LUCRO mesmo? Funciona?

- Publicidade -

MODA: faça sucesso com 5 looks de calça bege para você usar em qualquer situação

Dia 8 de janeiro vai virar o DIA DO PATRIOTA? POLÊMICA nas redes sociais: Entenda o caso

Os Segredos por Trás da Queda de Preço da Picanha e Outros Cortes de Carne no Brasil

A Revolução nos Preços da Carne Bovina

Essa reviravolta nos preços da carne bovina no Brasil é o resultado de uma combinação de fatores complexos que afetam toda a cadeia de produção e consumo. Vamos explorar esses fatores mais a fundo.

Aumento na Produção de Carne Bovina

- Publicidade -

Impulsionada por recordes nas exportações em 2022, a produção de carne bovina continuou crescendo em 2023, principalmente com o objetivo de atender à demanda internacional. No primeiro semestre deste ano, o número de abates de bovinos aumentou impressionantes 8% em comparação com o ano anterior, de acordo com dados do IBGE. Foram 7,34 milhões de cabeças no primeiro trimestre, um aumento de 4,8%, e 8,25 milhões no segundo trimestre, representando um aumento ainda mais expressivo de 11%.

Thiago Bernardino de Carvalho, pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), observa: “Este é o ano em que o Brasil mais produziu carne no primeiro semestre”. Esse aumento na produção, combinado com preços mais baixos para carnes de frango e suína, gerou pressão sobre o mercado de carne bovina, resultando em uma queda de preços.

A Queda no Preço do Boi

A maior oferta de carne bovina também contribuiu para a redução do preço do boi. João Otávio Figueiredo, chefe de pecuária da Datagro, explica que o preço da arroba do boi caiu consideravelmente, atingindo cerca de R$ 215, muito abaixo dos R$ 350 registrados em março de 2022.

Desde o início da pandemia de coronavírus, o preço da arroba vinha experimentando uma valorização histórica, impulsionada principalmente pela crescente demanda chinesa. No entanto, essa tendência começou a se inverter no segundo semestre do ano passado, e a demanda chinesa não aumentou como o esperado após o controle do coronavírus.

Figueiredo observa: “Em volume, o Brasil até exportou mais para a China neste ano, mas o preço ficou abaixo de US$ 5 mil por tonelada, ou seja, a rentabilidade é diferente”. Isso também afetou o preço no mercado interno.

Picanha mais barata
Pinterest

Impacto do Embargo Chinês nas Exportações

A diminuição das exportações de carne bovina também contribuiu para a maior oferta no mercado interno, o que, por sua vez, reduziu os preços. No primeiro semestre de 2023, o volume de carne bovina exportado foi 5,33% menor em comparação com o recorde de 2022.

Isso se deveu em grande parte aos 29 dias de embargo da China entre fevereiro e março. No entanto, a queda no volume exportado não correspondeu diretamente à queda nos preços. A tonelada de carne in natura exportada pelo Brasil caiu de preço, com uma redução de 26,4% até a terceira semana de agosto, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Essa queda abrupta nos preços pegou muitos do setor de surpresa. Embora os custos de produção tenham diminuído no campo, a queda de preços foi muito mais acentuada, resultando em dificuldades financeiras para alguns produtores.

Impacto Cambial

Outro fator que afetou os preços da carne bovina foi a valorização do real em relação ao dólar. A cotação, que atingiu R$ 5,44 em 4 de janeiro deste ano, fechou o semestre em R$ 4,81, segundo o Ipea.

Apesar de a China ter retomado as compras, ela está pagando preços menores, o que afeta a rentabilidade dos produtores e, por sua vez, os preços no mercado interno.

Consumo Mais Lento

Embora o consumo de carne tenha aumentado nos lares brasileiros entre junho de 2022 e junho de 2023, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), isso não significa que a carne bovina voltou a dominar a mesa dos brasileiros. A alta nos preços da carne bovina nos últimos anos e a crise econômica levaram as pessoas a optar por alternativas mais acessíveis, como o frango.

A reviravolta nos preços da carne bovina no Brasil é um exemplo vívido de como fatores econômicos globais e locais podem ter um impacto profundo nos preços dos alimentos. Para os amantes de churrasco e apreciadores de carne, essa é uma boa notícia. Você pode continuar a desfrutar de cortes saborosos a preços mais acessíveis. Para os produtores e a indústria da carne, essa reviravolta representa desafios e oportunidades únicos em um mercado em constante evolução.

Então, o que você achou desse conteúdo? Comente, compartilhe esse conteúdo e nos siga no Google Notícias e nossas redes Instagram, Facebook e Spotify.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.